Gestão fiscal para pequenas empresas

Gestão fiscal para pequenas empresas

Falar sobre gestão fiscal nunca foi tão importante quanto hoje em dia. Conforme uma pesquisa do IBRACEM (Instituto Brasileiro de Certificação e Monitoramento), mais de 86% das empresas ativas possuem ao menos uma irregularidade junto a Órgãos Competentes municipais e federais. Entre os principais setores com irregularidades está em 1º lugar o comércio em geral, em 2º as indústrias em geral e em 3º as transportadoras. 

 

Os números assustam ainda mais entre as micro e pequenas empresas. De acordo com pesquisa realizada pelo Serasa Experian, das mais de 6,3 milhões de micro e pequenas empresas ativas cerca de 5 milhões estavam negativas em 2018.

 

Dentro desse contexto, a alta taxa de mortalidade de empresas antes dos 2 anos de abertura tem como um dos principais fatores condicionantes a falta de planejamento, má gestão e endividamento. 

Pensando na importância da gestão fiscal para micro e pequenas empresas, a Consyste tratou sobre o assunto em um vídeo no Youtube há alguns meses. Você pode acessá-lo através do link abaixo:

Porém, quais são os principais cuidados que uma micro e pequena empresa deve ter quando o assunto é Gestão Fiscal?

Para responder essa perguntas elaboramos uma série de dicas para você ficar ainda mais atento dentro da sua empresa.

 

Cuidado com a emissão de notas fiscais contra o CNPJ

 

Uma situação muito comum que acontece no dia a dia das empresas é não controlar as notas fiscais que são emitidas em nome do CNPJ. Em muitos casos, a falta desse controle causa problemas na própria emissão por parte da empresa, e tal erro de digitação de valor ou de código do produto pode ser visto como irregularidade por parte do fisco.

 

Diante disso, a chance de ocorrer uma multa fiscal é muito maior. (Link da postagem das multas: https://consyste.com.br/evitar-multas-fiscais/) Essas multas podem causar muita dor de cabeça para os responsáveis, pois, além de resultarem em um custo extra, podem interferir seriamente na imagem da empresa.

 

Por isso, a melhor recomendação é ter um controle efetivo e contínuo das notas recebidas e emitidas pela empresa. Esse controle deve ser atualizado sempre que ocorrer uma nova emissão para evitar o esquecimento no lançamento da mesma.

 

Utilize ferramentas que facilitem a gestão fiscal

 

Muitas vezes somente as planilhas em excel não dão conta de todos os controles necessários. Além de ser um trabalho muito manual, fazer a gestão fiscal da sua empresa somente com planilhas pode ser mais difícil do que se imagina, afinal a probabilidade de esquecimento é muito maior.

A indicação de especialistas na área fiscal é trabalhar com softwares que controlam automaticamente recebimentos de notas fiscais, pagamentos e dívidas da empresa. Isso porque, além da agilidade, é possível fazer um melhor aproveitamento da equipe de trabalho e organizar os documentos fiscais da empresa de forma eficiente.

Porém, se mantenha atento se o software se adequa à realidade da sua empresa e se supre as suas necessidades. Em caso de dúvida, consulte  um contador de confiança

Se você possui um MEI ou uma grande empresa, o Portal Consyste se adapta a sua realidade. Veja mais das nossas soluções neste link.

 

Realize auditorias internas periodicamente

 

Como diria Peter Drucker “o que pode ser medido pode ser melhorado”.

Realizar auditorias internas periodicamente tem o objetivo de controlar e constatar problemas – ou prever possíveis problemas que podem acontecer.

É de extrema importância que a empresa esteja atenta nas escritas feitas em notas fiscais, datas e nas declarações emitidas. Todas elas devem estar claras e conter informações de forma correta em relação a datas, nomes e valores.

A auditoria tem o objetivo de identificar erros e corrigi-los de forma a melhorar a organização fiscal e evitar que fiscalizações fiscais possam encontrar irregularidades.

 

Escolha o regime tributário correto

 

Cada tipo de organização possui suas especificidades e para melhorar o desempenho organizacional, principalmente na área fiscal, a escolha do regime tributário é essencial. 

Na prática, se faz necessário o conhecimento específico dos dados da empresa, das opções de regimes e análise dos números e fatos para que uma projeção correta e um sistema adequado seja escolhido.

Para saber mais sobre esse tópico, leia o nosso artigo sobre Regimes Tributários.

 

Estar atento a esses pontos e às mudanças fiscais que acontecem, garantem que a sua empresa esteja em dia com o fisco  e que possa se desenvolver ainda mais.

A Consyste é especialista em gestão fiscal e possui planos especiais para pequenas empresas. Saiba mais!

 

Envie seu comentário